0524IMG_0923Eda (Copy)Entre os dias 15 e 21 de setembro de 2014, o Distrito Federal recebeu uma série de atividades que tinham como base o samba! Foi a primeira edição da Maratona do Samba, evento que teve como objetivo levar e promover essa manifestação tão essencial da cultura brasileira entre a população do DF.

Quem diria que o samba chegaria aonde chegou. Hoje aceito como Patrimônio Cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o ritmo tem como característica marcante sua capacidade de reunir pessoas em torno de sua sonoridade dançante e convidativa. E não para por aí… O samba tem outro aspecto essencial para nós, brasileiros: um elo que nos mantém conectados com passado, com as representações culturais de matrizes africanas que chegaram aqui com através dos povos escravizados e permanecem vivas e pulsantes em todo o país, perpetuado por gerações.

E toda essa representatividade foi essencial na primeira edição do projeto. Na ocasião, as estações do metrô de Samambaia, Ceilândia e da Praça do Relógio foram contempladas com apresentações, assim como na Rodoviária do Plano Piloto. Eram intervenções musicais estruturadas para afirmar esses locais como espaços privilegiados de acolhimento da produção estética brasiliense no contexto do samba. Subiram ao palco os seguintes artistas: Pegada Carioca, Fabinho, Samba 61, Samba Show, Milsinho, Vinícius Oliveira, Carol Voigt, Tyayro, Alafoiu e Anna Cristina.

Já no Samba nas Escolas, os músicos Wallace Palhares, Mestre Ronaldo, os grupos Mambembrincantes e Bambas do Eixo, Vinícius Oliveira e Breno Alves foram os responsáveis por contar a história do ritmo para crianças em aulas-show pra lá de especiais. Entre as instituições que recebem o projeto estiveram os centros de ensino nas regiões do Recanto das Emas, São Sebastião, Paranoá, Samambaia e Santa Maria. O encerramento do projeto aconteceu na área externa do Museu Nacional da República, em uma noite de muita festa. Débora Vasconcelos, Teresa Lopes, Rosemaria, Marquinhos Benon, Tyayro e Vinícius Oliveira rememoram clássicos desde a casa de Tia Ciata, homenageada da noite, até produções mais recentes. Quem fechou a noite foi o ícone Jorge Aragão, com sua voz marcante e canções mais que conhecidas do público como “Elevador”, “Eu e você sempre”, entre outras.

Durante o projeto, também foram contemplados o samba de roda, samba-canção e o samba de terreiro, vertentes imprescindíveis do samba tanto para o ensinamento nas escolas quanto nos shows que animaram e voltarão a animar o público brasiliense.